As suas crenças em Deus que ainda existirem serão "arrebatadas" por esse artigo contundente de William Magalhães.
Uma das maiores paranormais do mundo é brasileira e é internacionalmente famosa e requisitada.
Se você pudesse renascer na sua melhor versão como uma Fénix, como seria? Veja a experiência da Vanessa com a RTS.
Os depoimentos que tornaram o Força Subconsciente um site famoso e cheio de conteúdos voltados ao despertar coletivo. Novos depoimentos num novo modelo de conversa. Confira já!
Os seus problemas atuais começaram lá na sua família de origem, sabia? Pode ser difícil para você, mas é possível resolvê-los.

Pesquisar no site

sábado, 9 de junho de 2012

A União entre a Ciência e a Espiritualidade

A humanidade surgiu com uma infinidade de histórias simbolicas e racionalizações para explicar a razão e o propósito de nossa existência. As respostas tradicionalmente defendidas para questões existenciais tendem a vir da religião ocidental tradicional ou da "ciência ateísta".
Enquanto a humanidade se dividiu em grande parte entre essas duas mentalidades, a única alternativa que parece ter sida deixada de fora é a união entre a ciência e a espiritualidade. Poderiam ser ligados uns aos outros, ou eles são obrigados a contradição? Sem se referir a uma teologia dogmática, seria a consciência a essência de tudo? Ou a vida é só um fenômeno sem propósito em meio a um universo de matéria morta?
Ambos, ciência e religiões tem consciência de que todo universo é montado em padrões geometricos, galáxias, sistemas solares, átomos, plantas, animais, as células, ecossistemas em geral, até mesmo o DNA, até flocos de gelo criam padrões geometricos em suas estruturas quando expostos a emoções, todos os mecanismos que compõem a nossa realidade seguem uma "lógica" ou seria melhor dizer, um padrão, que é imbutido na estrutura da matéria em si. A compreenção dos padrões e como a energia se distribui pelos mesmos é o que chamam de Geometria Sagrada. Esse simples fato deveria ser prova suficiente de que existe um design inteligente por trás da criação. O próprio criador da física quântica, Max Planck, afrima que "não existe o que chamamos de 'matéria', toda matéria surge e existe apenas em virtude de uma força que leva as partículas de um átomo a vibrar e manter equilibrado esse diminuto sistema solar que é o átomo. Temos de aceitar a existência de uma mente consciente e inteligente por trás dessa força. Essa Mente é a matrix de toda a 'matéria' ”.
É como se a fonte que tudo criou e tudo é estivesse se projetando dentro dessas expressões de si mesma para ter experiencias e retornar com o conhecimento para expandir e se desenvolver. Ser contra a espiritualidade é querer travar em uma etápa da evolução. Deveria ser óbvio que a ciência é somente uma ferramenta para nos ajudar a compreender a mecânica do universo, e que na realidade esse universo é conciênte por natureza. No entanto, muitos cientistas insistem em descrever uma existencia tão complexa e ao mesmo tempo tão simples como uma mera coincidência, sem inteligências envolvidas na sua criação. A única inteligência ou consciência de que a ciência convencional parece reconhecer é o intelecto do nosso cérebro. Quanta arrogância! Até hoje, lemos na maioria dos livros de ciência que a consciência é apenas um resultado de processos químicos no cérebro, como se ela surgisse por coincidência de fora do tecido cerebral.  
O que aparenta estar sendo deixado de lado é ironicamente a base, a questão mais importante e fundamental: Qual a fonte dessa energia que movimenta não só nossos pensamentos, como tudo que existe.
Esse questionamento gera um leque de outros questionamentos que inevitavelmente levam pra mesma questão existencial: Porque estamos aqui?
A comunidade ciêntifica teima em ignorar esse ponto fundamental, talvez para evitar uma perspectiva mais metafísica sobre o mundo, medo de não poder possuir algo que é intangivel, não poder mensurar algo imensuravel. O que realmente é algo patético, mas para eles o seus argumentos do porque ignorar algo tão fundamental tem base, uma base que eles chamam de ceticismo, o famoso "ver pra cer", o que é bom até certo ponto, mas quando o mundo se divide em dois extremos, aqueles que só seguem a lógica e aqueles que só seguem a fé(crer para ver), criam-se as complicações, cria-se o desequilibrio, não existe harmônia, pois ambos os lados estão dizendo que estão certos, e acabam descartando o outro porque se acham os donos da verdade. A verdade é, que ambos os lados estão certos, até certo ponto.
Einstein disse que "a coisa mais incompreensível sobre o universo é que é compreensível". É assim porque o mesmo foi criado de tal modo para que o Um pudesse se fragmentar em varias partes e "descer" até a criação para ter experiencias com o proposito de descobrir a si mesmo. Pois sendo Um não existe ponto de vista, não existe outras perspectivas, somente a verdade absoluta de tudo que é. Portando não existe também criatividade, pois sem a sombra, a luz não pode se expressar pois está cega em si própria. 

A Consciência não depende do Cérebro

Altamente recomendado esse livro "O Cérebro Espiritual" dos neurociêntistas Mario Beauregard e Denyse O´Leary


Nós somos a luz aprendendo sobre si mesma, abra sua mente e expanda a luz que há em você. Somos a conciência que criou tudo. Conciência é a lingua programadora do universo, o que nos torna TODOS, sem exeção, criadores por excelência.

Deveriamos mudar o nosso modo de operar e unir ambos tangivel e intangivel em nosso dia a dia, unificar o que nós fragmentamos. Aquilo que é dito como esotérico ou mistico é somente ciência que ainda não foi compreendida. Precisamos nos desapegar do que consideramos possivel e impossivel pra poder abranger o nosso horizonte de possibilidades, e melhor compreender a existencia. Vamo parar de ter medo do desconhecido e dar boas vindas de braços abertos, só assim nós aprenderemos as lições que estão além da caixa que criamos para nós mesmos.
Ouvir a nossa "vóz" interna é a chave!
 
"O que temos chamado de matéria é energia (luz), cuja vibração foi reduzida a ponto de ser perceptível aos sentidos. Não existe nenhuma matéria. "
- Albert Einstein


 Fonte: Liberte-se do Sistema!