As suas crenças em Deus que ainda existirem serão "arrebatadas" por esse artigo contundente de William Magalhães.
Uma das maiores paranormais do mundo é brasileira e é internacionalmente famosa e requisitada.
Se você pudesse renascer na sua melhor versão como uma Fénix, como seria? Veja a experiência da Vanessa com a RTS.
Os depoimentos que tornaram o Força Subconsciente um site famoso e cheio de conteúdos voltados ao despertar coletivo. Novos depoimentos num novo modelo de conversa. Confira já!
Os seus problemas atuais começaram lá na sua família de origem, sabia? Pode ser difícil para você, mas é possível resolvê-los.

Pesquisar no site

domingo, 13 de maio de 2018

Rosário Pedro - Adeus, Cancro! - Depoimento - RTS colabora no combate ao Câncer

INTRODUÇÃO

Há alguns anos desenvolvi a RTS (clique aqui para saber o que é) e lembro da desconfiança de dezenas de pessoas que chegavam até o Força Subconsciente questionando muito como alguém poderia provocar mudanças e curas na vida e na mente de alguém sem sequer tocar na pessoa. Tudo feito à distância e meramente por... telepatia?
É verdade que tudo isso põem em cheque tudo o que pensamos saber sobre limites da mente e da alma humana. Nos faz rever as crenças de que o sobrenatural não existe e que é algo de filmes de ficção.


No entanto os anos passam e os depoimentos de quem experimenta um pouco o que o poder do parapsiquismo treinado e super-desenvolvido é capaz se acumulam.

O Status Quo sob o qual as sociedades humanas têm vivido impede que fenômenos reais como este sejam estudados seriamente e comprovamos. Porém, há o que escape do controle das informações e é por isso que é importante ter a coragem de levar adiante esses depoimentos, essas técnicas e mostrar às pessoas sem esperança que uma realidade individual e coletiva muito melhor, é possível.

A querida Rosário elaborou esse grande depoimento identificando-se e narrando sua jornada de luta contra o Cancro (câncer) além de como a RTS caminhou junto nos processos finais dessa vitória e muito mais.

Espero que muitas pessoas se sintam inspiradas e que eu possa ajudá-las ao máximo.

Encarecidamente grato pelo grande depoimento, Rosário!
-Dhin


Rosário Pedro - Adeus, Cancro! - Depoimento - RTS colabora no combate ao Câncer

Rosário Pedro

Meu nome é Rosário. Quem sou eu? Sou alguém que procura a paz, a harmonia e o regresso à Essência. Caminho, na minha imperfeição, à procura da Verdade.

Em Julho de 2017, tomei conhecimento da Remodelação Telepática Subconsciente através duma amiga, com quem não falava algum tempo. Nessa altura, encontrava-me a fazer quimioterapia, conversamos sobre a minha condição de saúde e os benefícios que a RTS poderia trazer para ela. Mencionou que tinha adquirido um pack de sessões com o Dhin e que iria oferecer-me. Eu nem sabia o que era a RTS. Aceitei e ainda bem que o fiz. Estou muito agradecida a esta minha amiga, pelo seu gesto de carinho e amor.

Houve, alguma confusão com a troca das sessões, mas o Dhin "acertou" em cheio ao marcar a primeira sessão. Foi no dia da minha última quimio, haveria um dia de intervalo e viriam as restantes sessões. Claro, que os temas abordados estavam todos relacionados com a minha saúde.

Naquela altura, o fator acumulativo da quimioterapia, no organismo, já fazia o meu corpo ressentir-se. Andava muito cansada, com o sono e apetite alterados e a parte hormonal descontrolada. Claro, que isto afetava não só o físico mas também a psique e as emoções.

Fazia a quimio em Lisboa.
Moro, aproximadamente, a 300kms da capital.
Inicialmente, ia com o meu pai mas com o tempo optei por ir sozinha. O processo era muito exigente e emocional para ele, tendo em conta os seus quase 80 anos. Passei a contar com uma amiga "mãezona" em Lisboa, que ía comigo ao hospital.

Na última sessão, pedi a uma amiga que fizesse todo o trajeto comigo, sentia-me muito cansada, debilitada e precisava de apoio. Estava assustada, as últimas sessões tinham sido extremamente dolorosas. Quando encontrava a receber o tratamento, havia uma sensação de "vidrinhos" e "gelo" a entrar pela veia a dentro. Por vezes, o braço inchava. Passava o tempo todo agarrada ao braço por onde recebia a quimio. A veia por onde entrava o tratamento era sempre uma incógnita, ao longo das sessões, as veias foram "secando". Durante o tempo que recebia o tratamento, a minha mão contrária enviava Reiki e eu olhava constantemente para o saco de quimio a ver se o conteúdo esvaziava rapidamente. Todo o processo levava, aproximadamente, 5 horas.

Curiosamente, naquele dia da última sessão adormeci, algo que nunca tinha acontecido anteriormente. Quando terminou senti-me capaz de conduzir e voltar para casa. Tudo correu muito bem naquele dia... Estranhamente :)
Normalmente, saía com tremores de frio intensos apesar de estarmos no pico alto do calor de Verão. Ficava com extrema sensibilidade a nível dos pés e das mãos, tocar objetos metálicos (parecia queimadura de gelo). Tinha náuseas, dificuldade em engolir a própria saliva e a água. A noite, era passada, com subida de temperatura e suores muito intensos, oscilando, com descida abrupta e dores ao longo do corpo.

No dia seguinte, como vinha sendo hábito, tive consulta com o médico de Medicina Tradicional Chinesa. Quando estava a ser observada, ele mencionou "esta quimio foi diferente! Não foi?" e disse-lhe "deve ser o fator psicológico de ter sido a última", pensava eu (não me lembrava da sessão de RTS).

Realmente, o meu corpo estava a reagir de forma diferente. Havia um bem estar que não era usual após a quimioterapia.
Quando cheguei a casa fez-se click, lembrei-me da sessão de RTS. Fui ver o email e lá estava o o primeiro relatório enviado pelo Dhin, da sessão realizada no dia em que tinha feito a última quimio. Ele mencionava o campo áurico, as células e como os químicos estavam a afetar todo o funcionamento do campo biomagnético do meu corpo. Os comandos dados pelo Dhin, tiveram efeito imediato no meu bem estar, sem dúvida.
Após, a quimioterapia intravenosa, seguia-se sempre um ciclo de 21 dias de capecitabina.... Esta, provocava-me; náuseas, enjoos, perda de apetite, problemas de estômago, suores, oscilações de temperatura, dores no corpo e insónias. Também, este último ciclo foi diferente. Apesar da saturação em tomar aqueles comprimidos, do estômago ressentir-se daquela medicação agressiva, consegui ir até ao fim.

Havia algo diferente em mim e isso transparecia, as pessoas amigas diziam-me "nem parece que fizeste quimio".
Atualmente, ainda, existem alguns efeitos da quimio em mim, tais como; menor resistência ao frio, ao stress e a memória ficou diferente.

Há uma Rosário antes e uma Rosário depois do Cancro. Foi um processo emocional muito intenso. Tomei, consciência que antes, tinha a vida a passar por mim e não a vivia. Tinha caído na rotina, sentia-me fechada numa "bolha", onde repetia padrões continuamente. Parecia um hamster fechado numa gaiola, a correr numa roda sem sair do mesmo lugar. Apesar da busca constante pela cura emocional (através de terapias e desenvolvimento pessoal) o corpo e a vida resolveram: era hora de parar... libertar o velho, o passado e criar espaço para o novo.

Como começou tudo isto...
Dores abdominais deram sinal em Fevereiro de 2017. Fui às urgências (raramente fico doente). Inicialmente, foi feito um diagnóstico de infeção urinária, medicada, vim para casa. As dores permaneceram e intensificaram-se. Voltei às urgências, após uma semana. Onde, um novo médico, observou-me e encaminhou-me para o exame -colonoscopia.
Diagnóstico; obstrução do colón descendente, era preciso operar com urgência. Em 3 dias, estava a ser submetida a uma intervenção cirúrgica complexa de mais de 8 horas. Depois, da operação, fiquei sem referências temporais parecia que estava noutra dimensão.

O relatório da peça removida chegaria 21 dias depois. Fui encaminhada para uma consulta de oncologia e o nome da própria consulta já previa a situação. Resultado; Adenocarcinoma ulcerado T3N1a. Apesar deste ter sido detetado numa fase inicial o plano seguinte seria realizar Quimioterapia adjuvante com Xelox 8ciclos. O médico foi muito cuidadoso e debruçou-se sobre a minha história familiar afim de compreender se havia historial clinico onde pudesse encontrar um fio condutor. Do lado paterno, existem diversos casos de cancro, mas nenhum relacionado com o cólon. Conversámos e eu estava muito resistente em fazer quimio. Ele apontou inúmeras razões todas elas fundamentadas e justificadas. Fui muito sincera, "se fizer quimio irei também recorrer às terapias alternativas e holísticas, pois acredito no potencial delas." Ficou acordado, entre nós, mantê-lo a par de tudo o que fizesse. No entanto, saí de lá, para consolidar a minha decisão. Procurei, uma segunda opinião médica e esta, foi igual à primeira, as mesmas justificações.

Naquela semana caí em mim... Durante anos, achei que não pertencia a este Planeta. Sentia-me desajustada na sociedade, que a vida não fazia sentido, que não queria continuar a viver num Mundo tão cruel e ali estava eu... entre a vida e a morte. Lembro-me, do meu pai me pressionar para começar a quimio e eu a chorar dizer-lhe "antes de tudo, tenho que decidir se quero viver ou morrer!". Para mim, a resposta, fez toda a diferença no meu percurso.

Tinha de descobrir porque o meu corpo tinha criado o cancro. Fisicamente, descobri que tinha imensas intolerâncias alimentares e como não tinha conhecimento delas, a minha alimentação não era muito cuidada. Tinha, também, de compreender as questões emocionais por trás da origem do cancro e a sua associação com os órgãos afetados. Ajuda era necessária...

Quando avancei para a quimio, já ia acompanhada pela Naturopatia, pela Bio ressonância, Reflexologia, tinha recorrido às Constelações Familiares e à Leitura de Aura. Muito Reiki estava a ser enviado por muitas amigas. Era acompanhada à distância por um amigo de Cura Transpessoal.
Houve uma sincronia incrível nas pessoas e terapeutas que surgiram, fui sendo orientada e encaminhada sucessivamente. Amigas minhas, fizeram-me terapias; Multidimensional, Mesa Radiónica e Leituras da Alma, entre outras... A elas, o meu sincero e profundo agradecimento.

Nesta altura, percebi, a maravilhosa rede social à minha volta e o amor que recebia dela. Havia uma "teia invisível de amor", foi ela que me fortaleceu para caminhar. Os meus amigos foram e são o meu porto seguro, a todos eles o meu profundo obrigada!!!

A meio do processo, o meu corpo, começou a perder força e sentia os efeitos secundários com muita intensidade. Comecei a fraquejar e a ceder ao meu "lado negro", não queria ver ninguém e apenas tinha força para levar os cães à rua. Os meus animais puxavam por mim, obrigavam-me a sair de casa e a caminhar na natureza.
Nesta altura, uma amiga me aconselhou a falar com uma terapeuta que se recusava a fazer quimio e era sensitiva. Entre muitas coisas, foi ela que me indicou um médico de Medicina Tradicional Chinesa, particularidade, ele tinha sido meu colega de escola. Este meu amigo, deu-me auxílio num momento, em que ponderava desistir de tudo. Com os seus conselhos, eu consegui reerguer-me. Uma das suas sugestões, foi a acupuntura, apesar da minha resistência e medo à utilização de agulhas, experimentei e esta, fez toda a diferença no meu sono e bem estar. É com ele que tiro imensas dúvidas a nível médico, sempre disponível para me auxiliar e puxar por mim. Agradeço-lhe imenso.
Iniciei, também, acompanhamento psicológico e com este, entraram práticas diárias de EFT e Medicina Energética. Passei a estar muito mais consciente dos meus processos internos e a olha-los de frente. A medicina energética deu-me ferramentas para equilibrar o meu corpo energético. Passei a ser mais responsável com aquilo que crio para mim. Este acompanhamento, tem sido um forte alicerce na minha mudança. Aprendo tanto!!! Estou tão agradecida.
Participei, numa formação sobre Mindfullness que foi essencial para a consolidação de novos hábitos e rotinas. Parar, respirar e viver o momento presente é fundamental e uma prioridade.
Avancei, na prática da meditação e percebi a importância de ter uma rotina diária para "limpar" e "esvaziar" a mente.
Passei, pelo Instituto Macrobiótico, onde fui buscar uma nova visão sobre a nutrição. A alimentação tornou-se um processo desafiante, ao descobrir diversas intolerâncias alimentares, a mudança era necessária. Participei, em 2 módulos sobre alimentação macrobiótica. Acima de tudo fui "beber" uma nova perspetiva sobre todo o processo que envolve a confeção, equilíbrio do prato e degustação. Alimentar, o corpo, é muito mais do que apenas encher o estômago. É cuidar de nós! É amarmo-nos.
A todos os terapeutas e formadores que me acompanharam e acompanham, o meu abraço de gratidão e alegria. Todos me suportaram e encaminharam para o resgate da minha saúde e bem estar. Grata de coração.

O terreno estava preparado para entrar a RTS. Surgiu na reta final e trouxe uma maior compreensão a todo o processo. Esta terapia ajudou-me a ir ao cerne das questões que estavam gravadas a um nível profundo no subconsciente O Dhin fez um excelente trabalho em evidencia-las, desprograma-las e dar novos comandos. Trouxe uma verdadeira mudança à minha realidade.
As sessões que tenho feito com o Dhin, foram a estruturas "rijas" instaladas no meu psiquismo, a um nível tão profundo que é um alívio sempre que são desmontadas. Dão espaço para a mudança acontecer. É um resgatar do mais puro em mim. Cada sessão proporcionou um aumento de energia, alegria, confiança, segurança, bem estar, equilíbrio, vontade de viver e fortaleceu a autoestima, entre tantas, tantas coisas boas...
Ficou mais fácil pensar e até discernir as coisas. Vai parecer ridículo, mas antes, "embrulhava-me toda emocionalmente" e ficava presa nesse registo. Hoje, acolho o imprevisto com uma clareza de raciocínio inexistente anteriormente. Aceito parar e ficar sem ação. Há uma paz cá dentro que se conquista e isso é ouro! Estou muito grata, Dhin!!!

Há um tímido caminhar para aquilo que sou de verdade. Continuo a ir às camadas de formatação familiar e social. Os véus continuam a ser retirados, como ilusões romanceadas permitindo chegar ao âmago daquilo que está por revelar.

Acredito, que o cancro é uma chamada de atenção, uma paragem e uma aprendizagem. A vida precisa ser redescoberta, porque o caminho percorrido não está a ser o melhor. O cancro é uma oportunidade para mudar.

O que aprendi;

- O nosso corpo é sábio. É preciso parar para ouvi-lo. Precisa de bons cuidados (alimentação, exercício, descanso,... ).
- A mente precisa ser disciplinada e sossegada.
- Devemos libertar... libertar medos, crenças, preconceitos, dores, mágoas, histórias, objetos e pessoas.
- Criar espaço para o novo...
- Ter tempo para contacto com a natureza! É ela que nos nutre a Alma.
- Falar a verdade! A nossa verdade, com delicadeza.
- Permitir a doçura, o acolhimento, a ajuda, os abraços, o Amor... sem defesas e medos.
- Aceitar parar...permitir que o tempo nos embale!
- Ser gentil, principalmente, connosco próprios.
- Abraçar a vida! A maior dádiva que os nossos pais nos deram.
- Cultivar a alegria e o prazer de estar com pessoas felizes, bem resolvidas e que nos tratem bem.
- Agarrar os sonhos. Parar de adia-los!!! São a magia que nos move.
- Aprender a cultivar o estado de gratidão.
- Manter a vida simples e fácil.
- Sorrir, confiar e deixar fluir...

São os pequenos, grandes passos que a vida me está a ensinar.

Deixo, aqui, o meu testemunho, porque existe algures alguém a passar pelo mesmo, ou que tem um amigo ou familiar a travar um "desafio" com o cancro. Cada processo, é um caminho único, este foi o meu espero que esta partilha possa ajudar alguém.

Tenho uma caminhada exigente pela frente. ;)
SER FELIZ!!!
Mil sorrisos,
Rosário Pedro

" Ao contrário do que dizem a você...
você não é um ser material limitado.

FORÇA SUBCONSCIENTE
Conhece-te a ti mesmo.