Pesquisar no site

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Consciousness Creates Reality

setembro 27, 2018
“Consciousness creates reality,” a statement that has gained a lot of attention across various alternative media outlets around the world.

Make no mistake, consciousness has been (for quite some time) studied by numerous scientists, especially in its relation to quantum physics and how it might be correlated with the nature of our reality.

What is consciousness? Consciousness includes a number of things. It’s how we perceive our world, our thoughts, being aware, our intentions and more.


“Looking for consciousness in the brain is like looking in the radio for the announcer.”
Nasseim Haramein, director of research for the Resonance Project

“I regard consciousness as fundamental. I regard matter as derivative from consciousness. We cannot get behind consciousness.Everything that we talk about, everything that we regard as existing, postulates consciousness.”
Max Planck, theoretical physicist who originated quantum theory, which won him the Nobel Prize in Physics in 1918.

“It was not possible to formulate the laws of quantum mechanics in a fully consistent way without reference to consciousness.”
Eugene Wigner, theoretical physicist and mathematician. He received a share of the Nobel Prize in Physics in 1963


The statement that “consciousness creates reality” comes with a number of different questions.

Does this mean we as individuals (and on a collective level as one human race) can shape and create whatever reality we’d like for ourselves?

Does it mean we can manifest a certain lifestyle, and attract certain experiences? Does it happen instantly? Does it take time? How do we do it?

Although we might not be able to answer these questions with absolute scientific certainty, we do know that yes, a correlation between consciousness and our physical material world does indeed exist in some way, shape or form.

The extent of that correlation (again from a modern day scientific point of view) is still not well understood, but we know of the correlation, and we know it must have some sort of significance.


“A fundamental conclusion of the new physics also acknowledges that the observer creates the reality.

As observers, we are personally involved with the creation of our own reality. Physicists are being forced to admit that the universe is a “mental” construction. Pioneering physicist Sir James Jeans wrote:

 “The stream of knowledge is heading toward a non-mechanical reality; the universe begins to look more like a great thought than like a great machine.Mind no longer appears to be an accidental intruder into the realm of matter, we ought rather hail it as the creator and governor of the realm of matter. Get over it, and accept the inarguable conclusion. The universe is immaterial-mental and spiritual.” 
R.C. Henry, Professor of Physics and Astronomy at Johns Hopkins University ,  “The Mental Universe” ; Nature 436:29,2005) (Source)

The Science Behind The Statement “Consciousness Creates Reality”



The quantum double slit experiment is a very popular experiment used to examine how consciousness and our physical material world are intertwined.

It is a great example that documents how factors associated with consciousness and our physical material world are connected in some way.

One potential revelation of this experience is that “the observer creates the reality.”

A paper published in the peer-reviewed journal Physics Essays by Dean Radin, PhD, explains how this experiment has been used multiple times to explore the role of consciousness in shaping the nature of physical reality. (Source)

In this experiment, a double-slit optical system was used to test the possible role of consciousness in the collapse of the quantum wave-function.

The ratio of the interference pattern’s double slit spectral power to its single slit spectral power was predicted to decrease when attention was focused toward the double slit as compared to away from it.

The study found that factors associated with consciousness “significantly” correlated in predicted ways with perturbations in the double slit interference pattern (Source)

“Observation not only disturbs what has to be measured, they produce it. We compel the electron to assume a definite position. We ourselves produce the results of the measurement.” (Source)

Although this is one of the most popular experiments used to posit the connection between consciousness and physical reality, there are several other  studies that clearly show that consciousness, or factors that are associated with consciousness are directly correlated with our reality in some way.

A number of experiments in the field of parapsychology have also demonstrated this.

Sure, we might not understand the extent of this connection, and in most cases scientists can’t even explain it.

However they are, and have been observed time and time again.

Below is a video  demonstration from the film “What The Bleep Do We Know.”



Other examples that we’ve written about are government sponsored psychokinesis experiments, the global consciousness experiment, intelligence agency remote viewing experiments, thoughts and intentions altering the structure of water, the placebo effect, teleportation studies and more.

 You can find more details about those specific experiments HERE.

Some other related CE articles that relate to this subject are listed below:



How We Can Incorporate This Information Into Our Lives & Use Consciousness To Transform The World

Change requires action, but the place within which that action comes from is most important.

Modern day science, especially quantum physics, has been catching up to ancient mysticism and concepts that are/were so deeply ingrained in various cultures throughout the ancient world.

One great example of this is the fact that everything is energy , and nothing is solid. You can read more about that here.

“We are what we think, all that we are arises with our thoughts, with our thoughts we make the world.” 
Gautama Buddha


“Broadly speaking, although there are some differences, I think Buddhist philosophy and Quantum Mechanics can shake hands on their view of the world. We can see in these great examples the fruits of human thinking. Regardless of the admiration we feel for these great thinkers, we should not lose sight of the fact that they were human beings just as we are.”
Dalai Lama (Source)

A great example of quantum physics meeting ancient wisdom is seen in the fact that Nikola Tesla was influenced by Vedic philosophy when pondering his ideas of zero point energy. You can read more about that here.

So why is this relevant? It’s relevant because new physics, as mentioned above, is pointing to the fact that the observer shapes the reality.

The way we think and perceive could be  responsible and play a vital role in the physical construct we see in front of us.

“No problem can be solved from the same level of consciousness that created it.”
Unknown


If we look at the world and examine it on a collective level, what do we see? How do we perceive it? Right now, the masses perceive it as being born, going to school, paying bills, raising a family and finding a “job” within the current paradigm to support yourself.

No judgement here, but many people on the planet are not resonating with this experience.

They want change. We’ve been repeating and perceiving our reality this way for a very long time, with very little information about what is really happening on and to our planet.

It’s almost like we are robotic drones that are trained and brainwashed to accept things the way they are.

To not question what is happening in our world and to continue on with the status quo, only caring for ourselves and our own lives.

As Noam Chomsky would say, our consent has been manufactured. If we continue down this path and continue to perceive and view reality as “this is just the way it is,” we will, in essence, prolong that type of existence and experience for the human race without ever changing it.

In order to create and manifest a new reality for ourselves, our thought patters and the way we perceive reality must change.

What changes the way we perceive reality? Information does. When new information emerges it changes the way we look at things and as a result, our reality changes, and we begin to manifest a new experience and open our minds to a broader view of reality.

Not to say that we can’t manifest a new physical form in the blink of an eye, and that we are not capable of doing that, but it appears to be something that takes time, something gradual, something we don’t quite understand yet.

What’s also important about teachings from new physics is that, if factors of consciousness are associated with the creation of our reality, that means change starts within.

It starts with the way in which we are observing the outer world from our inner world. This touches on the earlier point of how we perceive our reality. Our perception of the external world might very well be a reflection of our inner world, our inner state of being.

So ask yourself, are you happy? Are you observing, perceiving and acting from a place of love? From a place of hate or anger? From a place of peace?

All of these factors are associated with our consciousness, with our observation, the one (or the many) who are doing the “observing” might play a large role in what type of physical world the human race manifests for itself, what do you think?

We are indeed the observers,  can we create change and break patterns to open up new possibilities, change our direction, all through the way in which we observe ourselves, others and the world around us.

I believe that the human race is in the process of waking up to a number of different things, simultaneously. As a result, the way we perceive and “observe” the world around us (on a mass scale) is starting to drastically change. So if you want to help change the world, change the way you look at things, and the things you look at will change.

“Be the change you want to see in the world.” 
Mahatma Ghandi


“There is nothing new to be discovered in physics now. All that remains is more and more precise measurement.”

This statement (worldview statement) was by Lord Kelvin in 1900, which was shattered only five years later when Einstein published his paper on special relativity.

The new theories proposed by Einstein challenged the current (at that time) framework of understanding.

This forced the scientific community to open up to an alternate view of the true nature of our reality.

A great example of how things that once were regarded as truth have changed.

“Lord Kelvins statements bares with it the voice of paradigms past…We knew that the Earth was flat, we knew that we were the center of the universe, and we knew that a manmade heavier than air piece of machinery could not take flight.

Through all stages of human history, intellectual authorities have pronounced their supremacy by ridiculing or suppressing elements of reality that simply didn’t fit within the framework of accepted knowledge.

Are we really any different today?

Have we really changed our acceptance towards things that won’t fit the frame?
Maybe there are concepts of our reality we have yet to understand, and if we open our eyes maybe we will see that something significant has been overlooked.”
Terje Toftenes

A Consciência cria a realidade

setembro 27, 2018
A "Consciência cria a realidade", uma afirmação que ganhou muita atenção em vários meios de comunicação alternativos em todo o mundo. Não se engane, a consciência tem sido (por algum tempo) estudada por numerosos cientistas, especialmente em sua relação com a física quântica e como ela pode estar correlacionada com a natureza de nossa realidade.

O que é consciência? Consciência inclui várias coisas. É como percebemos nosso mundo, nossos pensamentos, sendo conscientes, nossas intenções e muito mais.

Buscar consciência no cérebro é como procurar no rádio pelo locutor.
 Nasseim Haramein, diretor de pesquisa do Projeto Ressonância.

“Eu considero a consciência como fundamental. Eu considero a matéria como derivada da consciência. Nós não podemos ficar atrás da consciência. Tudo o que falamos, tudo o que consideramos como existente, postula a consciência ”.
Max Planck, físico teórico que originou a teoria quântica, que lhe valeu o Prêmio Nobel de Física em 1918.


"Não foi possível formular as leis da mecânica quântica de uma maneira totalmente consistente, sem referência à consciência." 
Eugene Wigner, físico teórico e matemático. Ele recebeu uma parte do Prêmio Nobel de Física em 1963


A afirmação de que “consciência cria a realidade” vem com várias questões diferentes. Isso significa que nós, como indivíduos (e em um nível coletivo, como uma raça humana) podemos moldar e criar qualquer realidade que gostaríamos de nós mesmos? Isso significa que podemos manifestar um certo estilo de vida e atrair certas experiências? Isso acontece instantaneamente? Leva tempo? Como fazemos isso?

Embora possamos não ser capazes de responder a essas perguntas com absoluta certeza científica, sabemos que sim, uma correlação entre a consciência e nosso mundo material físico realmente existe de alguma maneira ou forma.

A extensão dessa correlação (novamente do ponto de vista científico moderno) ainda não é bem compreendida, mas sabemos da correlação e sabemos que ela deve ter algum tipo de significado.


“Uma conclusão fundamental da nova física também reconhece que o observador cria a realidade.

Como observadores, estamos pessoalmente envolvidos com a criação de nossa própria realidade. Os físicos estão sendo forçados a admitir que o universo é uma construção "mental".

O físico pioneiro Sir James Jeans escreveu:

“O fluxo de conhecimento está caminhando para uma realidade não mecânica; o universo começa a parecer mais um grande pensamento do que como uma grande máquina.

A mente não mais parece ser um intruso acidental no reino da matéria, devemos antes considerá-la como criadora e governadora do reino da matéria. Supere isso e aceite a conclusão indiscutível.
O universo é imaterial-mental e espiritual ”.

R.C. Henry, professor de Física e Astronomia na Universidade Johns Hopkins, “The Mental Universe”; Nature 436: 29,2005) (Fonte)


A ciência por trás da afirmação "Consciência cria realidade".




O experimento da dupla fenda quântica é um experimento muito popular usado para examinar como a consciência e nosso mundo material físico estão interligados.

É um ótimo exemplo que documenta como os fatores associados à consciência e ao nosso mundo material físico estão conectados de alguma forma.

Uma revelação potencial dessa experiência é que "o observador cria a realidade". Um artigo publicado no periódico Physics Essays por Dean Radin, PhD, explica como esta experiência foi usada várias vezes para explorar o papel da consciência na formação da natureza da realidade física.  (Fonte)

Neste experimento, um sistema óptico de dupla fenda foi usado para testar o possível papel da consciência no colapso da função de onda quântica.

A relação entre a potência espectral da dupla fenda do padrão de interferência e a potência espectral de sua fenda única foi prevista para diminuir quando a atenção foi focada na direção da dupla fenda em comparação com a distância dela.

O estudo constatou que os fatores associados à consciência "significativamente" se correlacionaram de formas previstas com perturbações no padrão de interferência de dupla fenda. (Fonte)


“A observação não só perturba o que deve ser medido, como também o produz. Nós obrigamos o elétron a assumir uma posição definida. Nós mesmos produzimos os resultados da medição ”.   (Fonte)


Embora este seja um dos experimentos mais populares usados para postular a conexão entre a consciência e a realidade física, existem vários outros estudos que mostram claramente que a consciência, ou fatores que estão associados com a consciência, estão diretamente correlacionados com a nossa realidade de alguma forma.

Diversas experiências no campo da parapsicologia também demonstraram isso.

Claro, podemos não entender a extensão dessa conexão e, na maioria dos casos, os cientistas nem conseguem explicar. No entanto, eles são e foram observados diversas outras vezes.

Abaixo está uma demonstração em vídeo do filme “What The Bleep We Know”.


Outros exemplos sobre os quais escrevemos são experimentos de psicocinese patrocinados pelo governo, o experimento global de consciência, experimentos de visualização remota de agências de inteligência, pensamentos e intenções alterando a estrutura da água, o efeito placebo, estudos de teletransporte e muito mais.

Você pode encontrar mais detalhes sobre esses experimentos específicos AQUI.

Alguns outros artigos relacionados ao CE que dizem respeito a este assunto estão listados abaixo:





Como podemos incorporar essas informações a nossas vidas e usar a consciência para transformar o mundo.

A mudança requer ação, mas o lugar de onde essa ação vem é o mais importante.

A ciência moderna, especialmente a física quântica, tem alcançado o misticismo antigo e os conceitos que estão profundamente arraigados em várias culturas do mundo antigo.

Um grande exemplo disso é o fato de que tudo é energia e nada é sólido. Você pode ler mais sobre isso aqui.


“Nós somos o que pensamos, tudo o que somos surge com nossos pensamentos, com nossos pensamentos, nós fazemos o mundo.”
Gautama, Buddha.

“De um modo geral, embora haja algumas diferenças, acho que a filosofia budista e a mecânica quântica podem apertar as mãos de sua visão do mundo.  Podemos ver nesses grandes exemplos os frutos do pensamento humano. Independentemente da admiração que sentimos por esses grandes pensadores, não devemos perder de vista o fato de que eles eram seres humanos exatamente como somos. ” 
Dalai Lama (Fonte)


Um grande exemplo da física quântica que se encontra com a sabedoria antiga é visto no fato de que Nikola Tesla foi influenciado pela filosofia védica ao ponderar suas idéias de energia de ponto zero. Você pode ler mais sobre isso aqui.

Então, por que isso é relevante? É relevante porque a nova física, como mencionado acima, está apontando para o fato de que o observador molda a realidade. A maneira como pensamos e percebemos pode ser responsável e desempenhar um papel vital na construção física que vemos diante de nós.


“Nenhum problema pode ser resolvido a partir do mesmo nível de consciência que o criou.” - Desconhecido.


Se olharmos para o mundo e o examinarmos em um nível coletivo, o que vemos?

Como percebemos isso? Neste momento, as massas percebem como nascer, ir à escola, pagar contas, criar uma família e encontrar um “emprego” dentro do atual paradigma para se sustentar. Nenhum julgamento aqui, mas muitas pessoas no planeta não estão ressoando com essa experiência.

Eles querem mudar. Nós temos repetido e percebido a nossa realidade desta forma há muito tempo, com muito pouco informação sobre o que realmente está acontecendo e com o planeta.

É quase como se fossemos drones robóticos treinados e com lavagem cerebral para aceitar as coisas como são.

Não questionar o que está acontecendo em nosso mundo e continuar com o status quo, cuidando apenas de nós mesmos e de nossas próprias vidas.

Como Noam Chomsky diria, nosso consentimento foi fabricado. Se continuarmos nesse caminho e continuarmos percebendo e encarando a realidade como “isto é exatamente como é”, nós, em essência, prolongaremos esse tipo de existência e experiência para a raça humana sem nunca mudá-la.

Para criar e manifestar uma nova realidade para nós mesmos, nossos padrões de pensamento e a maneira como percebemos a realidade devem mudar.

O que muda a maneira como percebemos a realidade? A informação. Quando surgem novas informações, muda a forma como olhamos para as coisas e, como resultado, nossa realidade muda e começamos a manifestar uma nova experiência e abrir nossas mentes para uma visão mais ampla da realidade.

Não quer dizer que não podemos manifestar uma nova forma física em um piscar de olhos, e que não somos capazes de fazer isso, mas parece ser algo que leva tempo, algo gradual, algo que não entendemos muito bem. Ainda!.
O que também é importante sobre os ensinamentos da nova física é que, se os fatores de consciência estão associados à criação de nossa realidade, isso significa que a mudança começa dentro de nós.

Começa com a maneira pela qual estamos observando o mundo exterior de nosso mundo interior. Isso toca no ponto anterior de como percebemos nossa realidade. Nossa percepção do mundo externo pode muito bem ser um reflexo do nosso mundo interior, nosso estado interior de ser.

Então pergunte a si mesmo, você está feliz? Você está observando, percebendo e agindo de um lugar de amor? De um lugar de ódio ou raiva? De um lugar de paz?

Todos esses fatores estão associados com a nossa consciência, com a nossa observação, o único (ou muitos) que estão fazendo a “observação” pode desempenhar um grande papel em que tipo de mundo físico a raça humana se manifesta por si mesma, o que você pensa ?

Nós somos, de fato, os observadores, podemos criar mudanças e quebrar padrões para abrir novas possibilidades, mudar nossa direção, ao longo do caminho em que nos observamos, os outros e o mundo ao nosso redor.

Eu acredito que a raça humana está no processo de acordar para inúmeras coisas diferentes, simultaneamente. Como resultado, a maneira como percebemos e “observamos” o mundo ao nosso redor (em grande escala) está começando a mudar drasticamente.

Então, se você quiser ajudar a mudar o mundo, mude a maneira como olha para as coisas e as coisas para as quais você olha mudarão.


“Seja a mudança que você quer ver no mundo.” - Mahatma Gandhi


“Não há nada novo a ser descoberto na física agora. Tudo o que resta é uma medição cada vez mais precisa ”.

Esta declaração (declaração de visão de mundo) foi por Lord Kelvin em 1900, que foi destruída apenas cinco anos depois, quando Einstein publicou seu artigo sobre a relatividade especial.
As novas teorias propostas por Einstein desafiavam a atual estrutura de entendimento (naquela época). Isso forçou a comunidade científica a se abrir para uma visão alternativa da verdadeira natureza de nossa realidade.

Um ótimo exemplo de como as coisas que antes eram consideradas verdade mudaram.

“Declarações de Lorde Kelvins trazem consigo a voz dos paradigmas do passado… Sabíamos que a Terra era plana, sabíamos que éramos o centro do universo e sabíamos que uma peça de máquina feita pelo homem, mais pesada que o ar, não poderia decolar.

Em todas as etapas da história humana, as autoridades intelectuais pronunciaram sua supremacia ridicularizando ou suprimindo elementos da realidade que simplesmente não se encaixavam na estrutura do conhecimento aceito.


Somos realmente diferentes hoje?

Nós realmente mudamos nossa aceitação para coisas que não se encaixam no quadro? Talvez existam conceitos de nossa realidade que ainda precisamos entender e, se abrirmos nossos olhos, talvez possamos ver que algo significativo foi negligenciado. ”
Terje Toftenes. (Fonte).


Tradução: Leonhard Lng

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

The 5 main cultural influences controlling your subconscious mind.

setembro 06, 2018
“Until you make the unconscious conscious, it will direct your life and you will call it fate.”
~Carl Jung.



Flip this quote from Dr. Jung around and it suggests that once you become aware of the unconscious forces directing you, you will experience freedom and gain newfound control over your own life. This realization gives us extraordinary power.

Based on what we know about the brain, mind, and consciousness, most of our decisions are made without conscious thought, that is, we are driven by low-level mental activity which happens automatically. This level of thinking is the product of the subconscious mind.

“Contrary to what most of us would like to believe, decision-making may be a process handled to a large extent by unconscious mental activity. A team of scientists has unraveled how the brain actually unconsciously prepares our decisions. “Many processes in the brain occur automatically and without involvement of our consciousness. This prevents our mind from being overloaded by simple routine tasks. But when it comes to decisions we tend to assume they are made by our conscious mind. This is questioned by our current findings.” [Source]

In other words, most of the time we are basically on autopilot.

The fact that subliminal advertising can alter the buying habits of consumers is well-established and this is a widely used practice in the advertising industry. It is, perhaps, the most overt form of directly tampering with the subconscious minds of individuals. But there a great deal of other things all around us which interfere with our subconscious programming on a daily basis.



1.) Beauty Programming. 

In 2017, Forbes magazine estimated that the beauty industry is worth nearly half a trillion dollars a year in the U.S. The industry is so lucrative because of how body image is used to manipulate people and their sexual identities, especially women. An ideal, largely unattainable representation of beauty is projected throughout our culture, causing a major disruption to self-identity. Over-sexualization of even the youngest members of society is everywhere.


2.) Violence Programming.

This one is everywhere, from the nightly news to the vast majority of television shows and movies, and even throughout the music industry. Violence is presented as the solution to any problem, darkly coloring the subconscious mind with images of death, torture, fighting, destruction, war and violence against nature.

Have you ever noticed how television and print media will scream themselves hoarse in news documentaries, editorials and heavy analytical pieces about ‘rising pornography, crime, violence, gunplay’, etc? And yet in the same TV Guide announcing the latest special on ‘The Crisis of Sex and Violence’ will appear an advertisement for Miami Vice, the ‘show that brings you the action and excitement you’ve come to expect’, etc. Or your newspaper will condemn sex and violence in the loftiest terms but there in the entertainment section is a half-page advertisement for a new ‘action’ movie accompanied by a photo of women in string bikinis and high heels fondling automatic pistols and machine-guns. 
~Michael A. Hoffman,  Secret Societies and Psychological Warfare.

Free tools on how to detox other people's emotions and reclaim your power.


3.) Occult Symbolism.

Classic occult symbolism is ubiquitous in our culture now. Appearing throughout entertainment media, the spiritual symbols of the occult present a constant reminder that dark forces are at play in our world. They trigger the deeply subconscious fear of death, which is thought to be the main driver of all human behavior, as well as submissiveness to base level forces, such as fear, greed, and lust.

The themes are applied in so many productions that it utterly defies coincidence, which means there must be some greater unifying message or purpose to it all. Based on the type of symbols and when looked at in the historical context of esoteric religious movement, Egyptian theology, Babylonian mythology, Satan worship and so on, Hollywood and the movie industry is clearly working to serve a particular idealogical movement.

The worship of dark and satanic forces has historically been linked to human sacrifice, pedophilia, sexual perversion, ego worship, celebrity worship, fragmentation of the individual psyche into controllable parts, mind control and corruption of the soul. The use of the occult and its symbols is a methodology employed to weaken the power of the individual and to create psychological slaves. It is a serious form of mind control. 



4.) The Hypocrisy of Church and State.

Stoking extreme cognitive dissonance, the most influential institutions in our world, church and state, are perpetually engaged in behavior that defies their stated objectives, creating an environment where otherwise would-be virtuous people develop a warped sense of reality.

The Catholic Church is mired in evil child-abuse scandals all the time, but they still put on the air of righteousness. The government is pretty much always engaging in scandal, murder, corruption and every other evil things, while, again, presenting itself as an organization that brings justice and equity to our world.


5.) Victim Consciousness.

If you believe you are a victim, then you also believe that you have no control over your choices and fate. Church and state love for people to play the role of victim, because they know it leaves a power vacuum in one’s life, causing them to look outwardly for direction, while giving up their power.


Final Thoughts

The subconscious mind doesn’t speak the same language as the conscious mind. It works on the level of visualization. Many of the influences mentioned above operate as mental images within the minds of many in our culture. A form of daydreaming. A trance like state. Waking up to this awareness is exceptionally liberating.



Read more articles by Sigmund Fraud.

About the Author
Sigmund Fraud is a survivor of modern psychiatry and a dedicated mental activist. He is a staff writer for WakingTimes.com where he indulges in the possibility of a massive shift towards a more psychologically aware future for humankind.

This article (The 5 Main Cultural Influences Controlling Your Subconscious Mind) was originally created and published by Waking Times and is published here under a Creative Commons license with attribution to Sigmund Fraud and WakingTimes.com. It may be re-posted freely with proper attribution, author bio, and this copyright statement.

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

As 5 principais influências culturais que controlam sua mente subconsciente.

setembro 05, 2018
 “Até que você torne o inconsciente consciente, ele direcionará sua vida e você o chamará de destino.”
 ~ Carl Jung



Inverta esta citação do Dr. Jung e ficará algo como, uma vez que você se conscientize das forças inconscientes que o direcionam, você experimentará a liberdade e obterá um novo controle sobre sua própria vida. Essa percepção nos dá poder extraordinário.

Com base no que sabemos sobre o cérebro, mente e consciência, a maioria de nossas decisões é feita sem o pensamento consciente, isto é, somos movidos por uma atividade mental de baixo nível que acontece automaticamente. Este nível de pensamento é o produto da mente subconsciente.

Ao contrário do que a maioria de nós gostaria de acreditar, a tomada de decisão pode ser um processo manipulado em grande parte pela atividade mental inconsciente.

Uma equipe de cientistas desvendou como o cérebro inconscientemente prepara nossas decisões.

Muitos processos no cérebro ocorrem automaticamente e sem envolvimento da nossa consciência. Isso impede que nossa mente seja sobrecarregada por tarefas rotineiras simples. Mas quando se trata de decisões, tendemos a supor que elas são feitas por nossa mente consciente. Isso é questionado por nossas descobertas atuais. ”. [Fonte]

Em outras palavras, na maioria das vezes estamos basicamente no piloto automático.

O fato de que a publicidade subliminar pode alterar os hábitos de compra dos consumidores é bem estabelecida e esta é uma prática amplamente utilizada na indústria da publicidade.

É, talvez, a forma mais evidente de adulterar diretamente as mentes subconscientes dos indivíduos.
Mas há muitas outras coisas ao nosso redor que interferem em nossa programação subconsciente diariamente.


1.) Programação de Beleza.

Em 2017, a revista Forbes estimou que a indústria da beleza vale cerca de meio trilhão de dólares por ano nos EUA. A indústria é tão lucrativa por causa de como a imagem corporal é usada para manipular as pessoas e suas identidades sexuais, especialmente mulheres.

Uma representação ideal da beleza em grande parte inatingível é projetada em toda a nossa cultura, causando uma grande ruptura na autoidentidade.

A sexualização excessiva até mesmo dos membros mais jovens da sociedade está em toda parte.


2.) Programação de Violência.

Este está em toda parte, desde as notícias da noite até a grande maioria dos programas de televisão e filmes, e até mesmo em toda a indústria da música.

A violência é apresentada como a solução para qualquer problema, obscurecendo a mente subconsciente com imagens de morte, tortura, luta, destruição, guerra e violência contra a natureza.

"Você já notou como a televisão e a mídia impressa vão gritar roucas em documentários, editoriais e pesados artigos analíticos sobre“ pornografia crescente, crime, violência, tiroteios ”, etc?
No entanto, no mesmo guia da TV que anuncia o último especial sobre "A crise do sexo e da violência", aparecerá um anúncio do Miami Vice, o "programa que traz a ação e a emoção que você espera", etc.
Ou o seu jornal condenará o sexo e a violência nos termos mais elevados, mas na seção de entretenimento há uma propaganda de meia página para um novo filme de ação acompanhado por uma foto de mulheres com biquínis e salto alto acariciando pistolas automáticas e metralhadoras.
 
- Michael A. Hoffman, Sociedades Secretas e Guerra Psicológica.


3.) Simbolismo Oculto.

O simbolismo clássico do ocultismo é onipresente em nossa cultura agora. Aparecendo em toda a mídia de entretenimento, os símbolos espirituais do oculto apresentam um lembrete constante de que as forças das trevas estão em jogo em nosso mundo.

Eles desencadeiam o medo profundamente subconsciente da morte, que é pensado para ser o principal condutor de todo o comportamento humano, bem como a submissão às forças de base, como medo, ganância e luxúria.

Os temas são aplicados em tantas produções que desafia totalmente a coincidência, o que significa que deve haver alguma mensagem unificadora maior ou propósito para todos.
Baseado no tipo de símbolos e quando visto no contexto histórico do movimento religioso esotérico, teologia egípcia, mitologia babilônica, adoração a Satanás e assim por diante, Hollywood e a indústria do cinema estão claramente trabalhando para servir um movimento ideológico particular.
A adoração de forças obscuras e satânicas esteve historicamente ligada ao sacrifício humano, à pedofilia, à perversão sexual, ao culto do ego, ao culto às celebridades, à fragmentação da psique individual em partes controláveis, controle da mente e corrupção da alma.
O uso do oculto e seus símbolos é uma metodologia empregada para enfraquecer o poder do indivíduo e criar escravos psicológicos. É uma forma séria de controle mental.
~ Buck Rogers.


4.) A hipocrisia da igreja e do estado.

Estocar a dissonância cognitiva extrema, as instituições mais influentes em nosso mundo, igreja e estado, estão perpetuamente engajados em comportamentos que desafiam seus objetivos declarados, criando um ambiente onde, de outro modo, pessoas virtuosas desenvolvem um senso distorcido da realidade.

A Igreja Católica está atolada em escândalos maus de abuso infantil o tempo todo, mas eles ainda colocam o ar da justiça.

O governo está praticamente sempre envolvido em escândalos, assassinatos, corrupção e todas as outras coisas más, enquanto, novamente, se apresenta como uma organização que traz justiça e equidade ao nosso mundo.


5.) Consciência da vítima.

Se você acredita que é uma vítima, também acredita que não tem controle sobre suas escolhas e destino.

A igreja e o estado adoram que as pessoas desempenhem o papel de vítimas, porque sabem que isso deixa um vácuo de poder em sua vida, fazendo com que eles olhem para fora em busca de direção, enquanto abandonam seu poder.


Pensamentos finais

A mente subconsciente não fala a mesma linguagem que a mente consciente. Funciona no nível de visualização. Muitas das influências mencionadas acima operam como imagens mentais dentro das mentes de muitos em nossa cultura. Uma forma de sonhar acordado. Um estado de transe. 

Acordar para essa consciência é excepcionalmente libertador.

Fonte: Waking Times.
Tradução: Leonhard Lng.