Pesquisar no site

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Steven Greer talks about the fake alien invasion

outubro 30, 2018
For decades the U.S. public has been programmed to believe that disclosure of any genuine alien or extraterrestrial presence on earth will come as a threat, likely in the form of an all out hostile invasion of our planet. In such a scenario, our only savior would be a united human race armed to the teeth with the incredibly sophisticated weaponry of the military industrial complex.

Hollywood has done its job of creating and reinforcing this perception with movie after movie of man vs. extraterrestrial. Always swashbuckling, always explosive, it’s a decades long, high-dollar smear campaign that defies the personal experiences of an untold number of people who’ve had contact with other worldly beings, often describing them as peaceful. It also defies very credible accounts of ET interference with the world’s nuclear arms, which suggest that an ET presence may actually be working for the benefit of humanity and the planet.


Hollywood portrays aliens in an overwhelmingly negative light.

A massive ongoing effort such as this has a strategic purpose, though, and the Pentagon has finally revealed the objective, poorly concealed within the recent mini-disclosure published in the New York Times, Glowing Auras and ‘Black Money’: The Pentagon’s Mysterious U.F.O. Program.

In short, it is a program managed by the intelligence community as a means of funneling evermore public money into the coffers of defense contractors, while weaponizing space to increase domination over the human race, and manipulating human consciousness to constrict our understanding of the connection between the material world and inter-dimensional realities.

WATCH: Unacknowledged: An Expose of the World’s Greatest Secret, by Steven Greer

For years now,  renowned alien researcher Steven M. Greer, has been warning that an orchestrated, fake alien invasion has been in the works since the end of World War II, and that this false flag invasion would soon be forthcoming. Commenting on the recent revelation by the New York Times and how it perfectly fits in with this deeps state strategy, Greer recently spoke candidly with Ryan McCormick of The Outer Limits of Inner Truth Radio.

In the 1950’s it was decided this would be kept very secret, but that when it came out they would present it as a threat when they had pretty much exhausted, or needed to bring the world together around a common alien threat. 
~Steven M. Greer


According to Greer, it appears the intelligence community is finally playing the threat card and is now casually introducing the public to the idea of secretive defense programs in preparation for a war with extraterrestrials.

The media does not cover this issue unless they are instructed to do so by the people in the intelligence community and for specific reasons. So, the coverage on this, which was widespread, was orchestrated, but it had within it a subliminal message of a threat from space.
 ~Steven M. Greer

Beyond the endgame of greater control and unlimited black budget war spending, the suppression of information on the extraterrestrial presence on earth serves to keep us enslaved to the 1800’s economic model of human civilization. Having expanded to supply carbon based power to over 7 billion people, this outdated ecological nightmare is maintained by legacy industries who prevent the development of truly clean energy technologies.

Furthermore, this economic and political model is explicitly designed to perpetuate war and the destruction of civilizations on earth. We are locked into the horrors of ecocide and genocide, and until we wake up and overturn this paradigm, our future is indeed bleak.

According to Greer:
“The real question we need to ask is: what could our society be like without the repression of this information and without a threat based view of existence?

They don’t want to come out in a way that doesn’t further empower war. So I tell people, we have a choice here. The future is universal peace or endless war and destruction.”


Source: Waking Times.

Steven Greer Commenta Sobre A Falsa Chegada Da Invasão Alienigena

outubro 30, 2018
Durante décadas, o público dos EUA foi programado para acreditar que a revelação de qualquer presença extraterrestre ou alienígena genuína na Terra virá como uma ameaça, provavelmente na forma de uma invasão hostil ao nosso planeta. Em tal cenário, nosso único salvador seria uma raça humana unida armada até os dentes com o incrivelmente sofisticado armamento do complexo industrial militar.

Hollywood fez seu trabalho de criar e reforçar essa percepção com filme após filme de homem contra extraterrestre. Sempre fanfarrão, sempre explosivo, é uma campanha de difamação de décadas de dólares que desafia as experiências pessoais de um número incontável de pessoas que tiveram contato com outros seres mundanos, muitas vezes descrevendo-as como pacíficas. Ele também desafia os relatos muito confiáveis sobre a interferência de ET com as armas nucleares do mundo, que sugerem que uma presença de ET pode realmente estar funcionando em benefício da humanidade e do planeta.

Hollywood retrata os alienígenas sob uma perspectiva incrivelmente negativa.

Um enorme esforço contínuo como este tem um propósito estratégico, e o Pentágono finalmente revelou o objetivo, pouco escondido na recente mini-divulgação publicada no New York Times, Glowing Auras e "Black Money": O misterioso programa de OVNI do Pentágono.

Em suma, é um programa administrado pela comunidade de inteligência como um meio de canalizar cada vez mais dinheiro público para os cofres de empreiteiros de defesa, enquanto arma o espaço para aumentar a dominação sobre a raça humana e manipular a consciência humana para restringir nossa compreensão da conexão entre o mundo material e as realidades interdimensionais.

ASSISTA: Unknnowledged: uma exposição do maior segredo do mundo, por Steven Greer

Há anos, o renomado pesquisador de alienígenas Steven M. Greer vem alertando que uma invasão alienígena falsa e orquestrada está em andamento desde o fim da Segunda Guerra Mundial, e que esta falsa invasão logo estará por vir.

Comentando a recente revelação do New York Times e como ela se encaixa perfeitamente nessa profunda estratégia estatal, Greer recentemente falou abertamente com Ryan McCormick da rádio The Outer Limits of Inner Truth.

Na década de 1950, foi decidido que isso seria mantido em segredo, mas que, quando fosse lançado, eles o apresentariam como uma ameaça quando estivessem exaustos ou precisassem reunir o mundo em torno de uma ameaça alienígena em comum.
~ Steven M. Greer.

De acordo com Greer, parece que a comunidade de inteligência está finalmente jogando a carta de ameaça e agora está casualmente apresentando ao público a idéia de programas secretos de defesa em preparação para uma guerra com extraterrestres.


A mídia não cobre esse problema a menos que seja instruído a fazê-lo pelas pessoas da comunidade de inteligência e por razões específicas. Assim, a cobertura sobre isso, que foi generalizada, foi orquestrada, mas tinha dentro de si uma mensagem subliminar de uma ameaça do espaço. 
~ Steven M. Greer.

Além do fim de um controle maior e de gastos ilimitados com a guerra, a supressão de informações sobre a presença extraterrestre na Terra serve para nos escravizar ao modelo econômico de 1800 da civilização humana. Tendo se expandido para fornecer energia baseada em carbono a mais de 7 bilhões de pessoas, esse pesadelo ecológico ultrapassado é mantido por um legado de indústrias que impedem o desenvolvimento de tecnologias de energia verdadeiramente limpas.

Além disso, esse modelo econômico e político é explicitamente projetado para perpetuar a guerra e a destruição de civilizações na Terra. Estamos presos aos horrores do ecocídio e do genocídio, e até acordarmos e derrubarmos esse paradigma, nosso futuro é realmente sombrio.


Segundo Greer:

“A verdadeira pergunta que precisamos fazer é: como seria a nossa sociedade sem a repressão dessa informação e sem uma visão de existência baseada na ameaça?

Eles não querem sair de uma forma que não reforce ainda mais a guerra. Então eu digo às pessoas, nós temos uma escolha aqui. O futuro é paz universal ou guerra e destruição sem fim. ”

Fonte: Waking Times.
Tradução: Leonhard Lng.

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

A Spark Of Inner Knowing

outubro 24, 2018
We’ve all experienced a belief that just seems to “happen” and comes out of nowhere. Maybe you’ve felt the inner conviction that you’re in the wrong place at the wrong time. While there may be no obvious reasons for it, we just know that feeling is definitely there. And it’s usually in our best interest to honor our beliefs in the moment we have them.

Later, in a safe environment, we can look back and explore what may have caused our “inner alarm” to sound. When we do, it’s not uncommon to find that our beliefs have been sparked by something beyond the emotions of love or fear that create our typical feelings. That something is the power of what many people simply call the vibes of body truth, body resonance, or just plain resonance.


In its simplest form, resonance is an exchange of energy between two things. It’s a two-way experience, allowing each “something” to come into balance with the other. Resonance plays a huge role in our lives in everything from tuning our televisions and radios to our favorite station, to the unforgettable feeling that we have when another human looks directly into our eyes and says, “I love you.” Our experience of what we believe is all about resonance between us and the facts with which we’re being confronted.


To get a clear idea of what resonance is, let’s look at the example of shared vibration between two guitars placed on opposite sides of the same room. As the lowest string of either guitar is plucked, the same string on the second instrument will vibrate as if it were the one that was just plucked. Even though it’s on the other side of the room and no one has physically touched it, it’s still responding to the first guitar, because they’re equal in their ability to share a particular kind of energy. In this case, the energy is in the form of a wave traveling through space and across the room. And this is the same way we experience belief in our lives.


Rather than two guitars in a room tuned to match one another, we’re beings of energy with the capacity to tune our bodies and share particular kinds of energy. When our thoughts direct our attention to a sight that we see, words that are spoken, or something that we otherwise experience in some way, our physical selves respond to the energy of that experience. When it resonates with us, we have a body-centered response that tells us that what we have seen or heard is “true”—at least it is for us in that moment. This is what makes body truth so interesting.


Whether or not the information or experience is factual isn’t what this kind of truth is all about. The person experiencing resonance believes that it’s true. And, in that moment, it is true for him or her. The individual’s past experience, perceptions, judgments, and conditioning shape the experience into what he or she feels in the moment.


Equally interesting is the fact that the same person can face a similar situation a week later and find that it no longer resonates with him or her. Because it doesn’t, it’s no longer true. This happens because the individual’s filters of perception have changed and the person simply no longer believes as he or she did a week earlier.


In their experience of body truth, people often have physical sensations that tell them they’re resonating with what they’ve just experienced. Goose bumps; ringing of the ears; and a visible flushing of the face, upper chest, and arms are common expressions of body truth.


Resonance in Action

Resonance is a two-way experience. In addition to telling us when something is true for us, it’s also a defense mechanism that alerts us when we may be in a potentially harmful situation. When we find ourselves in the proverbial “dark alley,” for example, we may actually feel as though we are in the wrong place at the wrong time.


Our bodies “know” this; and the resulting symptoms can range from a mild, general weakness in the body, as if something is suddenly siphoning off all of our energy, to an extreme when the experience or information is so shocking to us that we break out in a cold sweat, with our face turning pasty white as our blood rushes away, preparing us for fight or flight.


Interestingly, we often have the same responses in the presence of lies, or at least information that our bodies feel is untrue. While it may be that we simply don’t have all the facts, or that those we do have are perceived incorrectly, the key here is that in the instant we suspect a lie, we’re responding to our experience of that moment. When we hear someone tell us something that we absolutely know beyond a shadow of a doubt is untrue, we feel a tension in our body that is commonly called our “bullsh*t detector.”


While it may not always be based on facts that are knowable in the moment, our gut reaction to what others share with us can be an invaluable tool in situations that range from suspected infidelity in a romantic relationship, to reading a label on our favorite package of cookies that tells us that the additives and fats we’re about to eat are “harmless.”


My family recently had this experience when the “tree doctors” showed up at our door one day to spray our yard with a pesticide that would protect the neighborhood from certain insects. While they were telling us that the chemical was “harmless” to animals and humans, and even to children (whom I’ve always thought of as humans as well), we were also instructed to keep our pets, kids, and bare feet off of the lawn for 24 hours and to wipe everyone’s shoes before coming into the house.


Although I’d done no research on the pesticide or the company and had no reason to doubt the man standing in front of me, who sincerely believed what his employer had told him, I knew in the core of my being that what I was being told was incorrect. The first words out of my mouth were to the effect that “if the chemical is really so ‘safe,’ then why all the precautions?”


After doing some quick investigating on the Internet, my suspicions were confirmed. The pesticide that was proposed was the same stuff that has been linked to a variety of health conditions, none of which were good. It’s almost as if the company believes that as long as their product doesn’t cause three-headed ants to appear in the yard a week later, the stuff is okay to use!



The key here is that we don’t have to think about our experiences to determine if they’re right for us. The body already knows the answers, and it responds with signals with which we’re all familiar. And these are the experiences that tell us when we accept something as truthful in our lives and when we don’t. The question is: Do we have the wisdom or the courage to listen?


Excerpted from pages 92 to 96 of Spontaneous Healing of Belief  by Gregg Braden. Copyright © 2008 (Hay House).


Source: Gregg Braden

Uma faísca do Saber Interior

outubro 24, 2018
Todos nós já experimentamos uma crença que parece "acontecer" e surge do nada. Talvez você tenha sentido a convicção interna de que está no lugar errado na hora errada. Embora possa não haver razões óbvias para isso, apenas sabemos que esse sentimento está definitivamente presente. E geralmente é do nosso interesse honrar nossas crenças no momento em que as temos.


Mais tarde, em um ambiente seguro, podemos olhar para trás e explorar o que pode ter causado nosso “alarme interno”. Quando o fazemos, não é incomum descobrir que nossas crenças foram desencadeadas por algo além das emoções de amor ou medo que criam nossos sentimentos típicos. Esse algo é o poder do que muitas pessoas simplesmente chamam de vibrações da verdade corporal, ressonância corporal ou simplesmente ressonância.



Em sua forma mais simples, a ressonância é uma troca de energia entre duas coisas. É uma experiência de mão dupla, permitindo que cada "algo" entre em equilíbrio com o outro. A ressonância desempenha um grande papel em nossas vidas em tudo, desde sintonizar nossos televisores e rádios até nossa estação favorita, até a sensação inesquecível que temos quando outro humano olha diretamente em nossos olhos e diz: "Eu te amo". Acredito que tudo gira em torno da ressonância entre nós e os fatos com os quais estamos sendo confrontados.


Para ter uma ideia clara do que é a ressonância, vamos ver o exemplo da vibração compartilhada entre duas guitarras colocadas em lados opostos da mesma sala. Como a corda mais baixa de qualquer das guitarras é arrancada, a mesma corda no segundo instrumento vibrará como se fosse a que foi arrancada. Mesmo que esteja do outro lado da sala e ninguém tenha tocado fisicamente, ainda está respondendo a primeira guitarra, porque eles são iguais em sua capacidade de compartilhar um tipo específico de energia. Nesse caso, a energia está na forma de uma onda viajando pelo espaço e atravessando a sala. E é assim que experimentamos a crença em nossas vidas.


Em vez de duas guitarras em uma sala sintonizada para combinar uma com a outra, somos seres de energia com a capacidade de sintonizar nossos corpos e compartilhar tipos específicos de energia. Quando nossos pensamentos direcionam nossa atenção para uma visão que vemos, palavras que são faladas ou algo que de outra forma experimentamos de alguma forma, nossos nós físicos respondem à energia dessa experiência.


Quando ressoa conosco, temos uma resposta centrada no corpo que nos diz que o que vimos ou ouvimos é “verdade” - pelo menos é para nós naquele momento. Isto é o que torna a verdade do corpo tão interessante.


Se a informação ou a experiência é factual, não é sobre o que se trata este tipo de verdade. A pessoa que experimenta ressonância acredita que é verdade. E, nesse momento, é verdade para ele ou ela. A experiência passada, as percepções, os julgamentos e o condicionamento do indivíduo moldam a experiência no que ela sente no momento.


Igualmente interessante é o fato de que a mesma pessoa pode enfrentar uma situação semelhante uma semana depois e descobrir que ela não ressoa mais com ela. Porque isso não acontece, não é mais verdade. Isso acontece porque os filtros de percepção do indivíduo mudaram e a pessoa simplesmente não acredita mais como fez uma semana antes.


Em sua experiência da verdade corporal, as pessoas muitas vezes têm sensações físicas que dizem que estão ressoando com o que acabaram de experimentar. Arrepios; zumbido das orelhas; e um rubor visível do rosto, parte superior do tórax e braços são expressões comuns da verdade corporal.


Ressonância em ação

Ressonância é uma experiência de mão dupla. Além de nos informar quando algo é verdadeiro para nós, também é um mecanismo de defesa que nos alerta quando podemos estar em uma situação potencialmente prejudicial. Quando nos encontramos no proverbial “beco escuro”, por exemplo, podemos sentir como se estivéssemos no lugar errado na hora errada.


Nossos corpos "sabem" isso; e os sintomas resultantes podem variar de uma fraqueza leve e geral no corpo, como se de repente alguma coisa desviasse toda a nossa energia, até um extremo, quando a experiência ou a informação é tão chocante para nós que suamos frio, com o nosso rosto ficando pálido como o nosso sangue se esvai, preparando-nos para lutar ou fugir.


Curiosamente, muitas vezes temos as mesmas respostas na presença de mentiras, ou pelo menos informações que nossos corpos sentem que são falsas. Embora possa ser que simplesmente não tenhamos todos os fatos, ou que os que temos sejam percebidos incorretamente, a chave aqui é que, no momento em que suspeitamos de uma mentira, estamos respondendo à nossa experiência daquele momento.


Quando ouvimos alguém nos dizer algo que absolutamente sabemos, sem sombra de dúvida, é mentira, sentimos uma tensão em nosso corpo que é comumente chamada de nosso “detector de besteiras”. Embora nem sempre seja baseado em fatos que são Conhecível no momento, nossa reação instintiva ao que os outros compartilham conosco pode ser uma ferramenta inestimável em situações que variam de suspeita de infidelidade em um relacionamento romântico a ler um rótulo em nosso pacote favorito de cookies que nos diz que os aditivos e gorduras estão prestes a comer são "inofensivos".


Minha família recentemente teve essa experiência quando os “doutores da árvore” apareceram um dia na nossa porta para borrifar nosso quintal com um pesticida que protegeria a vizinhança de certos insetos. Enquanto eles estavam nos dizendo que o produto químico era "inofensivo" para animais e seres humanos, e até mesmo para crianças (que eu sempre pensei como seres humanos também), nós também foram instruídos a manter nossos animais de estimação, crianças e pés descalços fora do gramado por 24 horas e para limpar os sapatos de todos antes de entrar na casa.


Embora eu não tivesse feito nenhuma pesquisa sobre o pesticida ou a empresa e não tivesse motivos para duvidar do homem em pé na minha frente, que sinceramente acreditava no que seu patrão lhe dissera, eu sabia no fundo do meu ser que estava sendo disse que estava incorreto. As primeiras palavras que saíram da minha boca foram para o efeito de que “se o produto químico é realmente tão 'seguro', então por que todas as precauções?”


Depois de fazer algumas investigações rápidas na Internet, minhas suspeitas foram confirmadas. O pesticida que foi proposto foi o mesmo material que foi ligado a uma variedade de condições de saúde, nenhum dos quais eram bons. É quase como se a empresa acreditasse que, desde que seu produto não faça com que formigas de três cabeças apareçam no quintal uma semana depois, tudo está bem para ser usado!



A chave aqui é que não precisamos pensar em nossas experiências para determinar se elas são adequadas para nós. O corpo já conhece as respostas e responde com sinais com os quais todos estamos familiarizados. E estas são as experiências que nos dizem quando aceitamos algo tão verdadeiro em nossas vidas e quando não o fazemos. A questão é: temos a sabedoria ou a coragem de ouvir?


Extraído das páginas 92 a 96 de Cura Espontânea da Crença por Gregg Braden. Direitos autorais © 2008 (Hay House).


Fonte: Gregg Braden
Tradução: Leonhard Lng.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Imagens Simbólicas do Mês 01/2016 - Vigilant Citizen

outubro 11, 2018
Imagens Simbólicas do Mês 01/2016.

Neste primeiro Imagens Simbólicas do Mês (SPOTM) de 2016, posso confirmar que a agenda da elite não deu uma trégua para as férias ... e é mais óbvio do que nunca este ano. Nesta edição: Miley Cyrus (é claro), Willow e Jan Smith, Star Wars e Charlie Hebdo.

Miley Futilizada

Pode passar um mês sem que Miley participe de uma porcaria de humilhação da agenda? Aparentemente não. Nesta capa da revista Plastik (trocadilho com vulgar, superficial, fútil), Miley parece estar se asfixiando. Abuso, desumanização, autodestruição. Tudo parte da Agenda.

Na parte posterior da capa, Miley prova que esta é pura porcaria de agenda: um olho estrategicamente escondido enquanto confirma seu status de escravo Beta.

A vencedora de 2015, The X Factor do Reino Unido, Louisa Johnson está sinalizando ao mundo que ela é mais um peão da elite ocultista pronta para ser explorada até que as pessoas se cansem dela.

A revista Wired apresenta ainda outro sinal de um olho associado ao novo Star Wars.

A capa do Her World (O Mundo dela), de Singapura, apresenta um sinal grande e de um olho só por nenhuma razão em particular.
Bônus: Seu vestido nos ressalta que isso é sobre o Olho Que Tudo Vê.

A capa do L'Officiel, do Líbano, apresenta um sinal não-tão-sutil de um olho.

Um grande sinal de um olho na capa da revista turca XOXO.

Este é um comercial para Maybelline. Talvez ela tenha nascido com isso ... talvez seja um peão dos Illuminati.

Kylie Jenner postou isso no Instagram em 3 de janeiro. Quem esconde um olho enquanto come o café da manhã?
Você adivinhou: peões Illuminati

A capa do novo álbum de Willow Smith, Ardipithecus, continua na tendência perturbadora de sexualizar estranhamente esse menor. Enquanto o título do álbum se refere a um hominídeo extinto, a obra retrata um Willow nu que evolui para algum tipo de alienígena iluminado. A verdade sobre ela é muito menos misteriosa: ela é um peão da indústria que está completamente perdido.

Enquanto isso, Jaden Smith se tornou o rosto da Louis Vuitton Womenswear. Roupas... femininas.
Enquanto alguns terão a reação automática de aplaudir de pé a incrível coragem de usar uma saia, esse golpe publicitário é principalmente uma continuação da agenda de obscurecer as linhas entre os sexos que foi promovida agressivamente no ano passado.

Katie Price tornou-se uma celebridade na Grã-Bretanha devido ao seu apelo sexual. Ela agora está arrastando sua filha de oito anos para esse negócio desprezível, disfarçando-a em uma mini versão dela.

Parem de sexualizar crianças.
Falando em exploração de menores, a estrela da série Glee, Mark Salling, foi preso por posse de pornografia infantil. Por incrível que pareça, ele faz o papel de um cara que dorme com um bando de jovens em um show que indiretamente transforma o ensino médio em um mercado de carnes sexy.

Não é a primeira vez que Glee está associado a esse tipo de coisa. Em 2010, a sessão de fotos de Glee na revista GQ foi fortemente criticado por tendências pedófilas.

As pessoas por trás das cenas em Hollywood estão procurando normalizar suas obsessões desviantes através da mídia de massa.


A capa do álbum de música popular coreana, da artista IU, está repleta de simbolismo MK, incluindo: Um olho grande, programação Alice no pais das Maravilhas, uma criança traumatizada por um homem mau, uma borboleta (programação Monarca), um menino vestindo meias arrastão (abuso), cogumelos (intoxicação), um arco-íris (passando por arco-íris = dissociação), uma coruja de um olho e muito mais.



Para o aniversário de um ano dos ataques do Charlie Hebdo, a revista lançou uma edição especial com uma capa bastante simbólica. 

Ele retrata Deus como um terrorista vestindo um rifle e vestindo um manto sangrento sob o título "1 an après,'assassin court toujours", que significa "1 ano depois, o assassino ainda está foragido". 

Acima de Deus está o símbolo do olho que vê dentro de um triângulo, que é um símbolo usado por algumas igrejas para representar a divindade. Como você deve saber, é também o símbolo favorito da elite ocultista e é derivado do antigo símbolo egípcio do Olho de Horus.

Sabendo disso, a capa basicamente diz: “Os verdadeiros assassinos ainda estão livres: a elite oculta”, enquanto os colocam literalmente acima de Deus (que é percebido como uma demência imperfeita na filosofia oculta).


Fonte: Vigilant Citizen
Tradução: Leonhard Lng

Symbolic Pics of the Month 01/16

outubro 11, 2018

In this first SPOTM of 2016, I can confirm that the elite’s agenda did not take a break for the holidays … and that it is more obvious than ever this year. In this edition: Miley Cyrus (of course), Willow and Jaden Smith, Star wars and Charlie Hebdo.

Can a month go by without Miley taking part of demeaning, agenda-pushing crap? Apparently not. On this cover of Plastik magazine, Miley appears to be asphyxiating herself. Abuse, dehumanization, self-destruction. All part of the Agenda.

On the alternate cover, Miley proves that this is pure agenda crap: one eye strategically hidden while confirming her Beta Slave status.

The winner of 2015 The X Factor UK Louisa Johnson is signaling the world that she is yet another pawn of the occult elite ready to be exploited until people get tired of her.

Wired magazine features yet another one-eye sign associated with the new Star Wars.

The cover of Her World Singapore features a big, fat, one-eye sign for no particular reason. Bonus: Her dress reminds us that this is all about the All-Seeing Eye.

The cover of L’Officiel Lebanon features a not-so-subtle one-eye sign.

A big fat one-eye sign on the cover of Turkish magazine XOXO.

This is a commercial for Maybelline. Maybe she’s born with it … maybe it’s an Illuminati pawn.

Kylie Jenner posted this on Instagram on Jan 3rd. Who hides one eye while eating breakfast? You’ve guessed it: Vain-ass Illuminati pawns.

The cover of Willow Smith’s new album Ardipithecus continues in the disturbing trend of oddly sexualizing this minor. While the the album title refers an extinct hominine, the artwork depicts a naked Willow who evolves into some kind of illuminated alien. The truth about her is much less mysterious: She’s an industry pawn that is completely lost.

Meanwhile, Jaden Smith became the face of Louis Vuitton Womenswear. Women’s….wear. While some will have the knee-jerk reaction of giving him a standing ovation for the incredible courage of wearing a skirt, this publicity stunt is mainly a continuation of the agenda of blurring the lines between genders that was aggressively promoted last year.

Katie Price became a celebrity in Britain due to her sex appeal. She is now dragging her eight year-old daughter into this sleazy business by disguising her into a mini version of her.

Stop sexualizing children.

Speaking of exploiting minors, Glee Star Mark Salling was arrested for possession of child pornography. Oddly enough, he plays the role of a dude who sleeps with a bunch of young girls in a show that indirectly turns high school into a sexy meat market.

It is not the first time that Glee is associated with this kind of stuff. In 2010, the Glee photoshoot in GQ magazine was heavily criticized for pedophile tendencies.

The people behind the scenes in Hollywood are looking to normalize their deviant obsessions through mass media.

The album cover of K POP artist IU is replete with MK symbolism including: A big eye, Alice in Wonderland programming, a child traumatized by an evil man, a butterfly (Monarch programming), a young boy wearing fishnet stockings (abuse), mushrooms (intoxication), a rainbow (going over rainbow = dissociation), a one-eyed owl and much more.



For the one year anniversary of the Charlie Hebdo attacks, the magazine launched a special edition with a rather symbolic cover. It depicts God as a terrorist yeilding a rifle and wearing a bloody robe under the title “1 an après, l’assassin court toujours” which means “1 year later, the assassin is still on the run”. 

Above God is the symbol of the Eye Seeing Eye inside a triangle, which is a symbol used by some Churches to represent divinity. As you might know, it is also the favorite symbol of the occult elite and is derived from the ancient Egyptian symbol of the Eye of Horus.

Knowing this fact, the cover basically says “The REAL assassins are still free: the occult elite” while literally placing them above God – who is perceived as an imperfect demi-urge in occult philosophy.


terça-feira, 2 de outubro de 2018

Angela Chie Kmiecik - Depoimento - RTS - Melhora Significativa da Saúde Emocional

outubro 02, 2018

"Eu fiz a RTS para crenças em doenças e dificuldades financeiras.
Não é de um dia para o outro, mas é como se fosse."

Conheci o site do Dhin num momento de muita angústia. Já estava em tratamento de depressão e síndrome do pânico. Nesse momento estava desempregada, sem nenhum freela e qualquer expectativa de trabalho futuro.

Como tinha muito tempo livre, comecei a fuçar a internet e como gosto muito de física quântica, encontrei o site do Dhin.

Comecei a ler tudo, tudo mesmo. Aí que a coisa piorou. Tive, o que eles chamam de depressão pós salto (salto quântico genético - Bruno Guerreiro). A dor era tão profunda que eu deseja, não morrer, que era pouco naquele momento. Deseja virar poeira estelar. Só pra não sentir tanta dor.

Nesse momento resolvi fazer algumas terapias com o Dhin (RTS). Esperei um mês e nada de retorno (ele explica a demora), mas valeu a pena esperar.

Depois que já tinha melhorado e já estava com alguns clientes, a vida seguindo, recebo um e-mail dele marcando as sessões. Fiquei até espantada, porque já tinha me esquecido, mas feliz ao mesmo tempo.

Depois das datas agendadas, foi uma coisa incrível! Um milagre mesmo.

Parece que não muda nada, mas muda TUDO!

Eu fiz a RTS para crenças em doenças e dificuldades financeiras. Não é de um dia para o outro, mas é como se fosse.

A qualidade dos pensamentos de Chie
 mudou e agora a realidade que ela atrai
é genuinamente melhor e seguirá
melhorando com o seu tratamento - Dhin
Mudou completamente minha forma de me relacionar comigo, com o meu dinheiro e com o que eu achava sobre doenças. Uma coisa sensacional!

Não fiquei rica (ainda) mas agora vejo que não há limites para o que se quer. Percebo claramente que antes tinha várias crenças limitantes e que hoje, olhando para trás, até me fazem rir. É e isso que dá todo o sentido para a terapia do Dhin. A forma como EU olho para o mundo e as múltiplas possibilidades que ele me oferece.

Depois disso, sou cliente assídua do Dhin e indico para os meus amigos mais queridos.

Dhin, muito obrigada!


Obs.: A RTS não substitui tratamentos convencionais recomendados pelos médicos.


FORÇA SUBCONSCIENTE
Liberdade é ser livre para escolher o desconhecido - Amit Goswami


Conheça tudo sobre o trabalho de Dhin Akari no portal O Senciente

#FísicaQuântica #Física #Espiritualidade #SaltoQuântico #CuraQuântica #Angústia #Depressão #Pânico #SíndromeDoPânico #Transtorno #Reencarnação #Karma #Espírito #Alma #Doenças #Cura #Quântica #Quântico #CuraQuântica #Terapia #Terapeuta #Transpessoal #Psiqué #Transcendente #Transcendência #Hórus #Mistérios #Despertar #Subconsciente #OPoderDoPensamento #PensamentoPositivo #OPoderDoSubconsciente #SubconscienteHumano #SuperHumanos #Parapsicologia #Paranormal #Prosperidade #Dinheiro #Coach #Coaching #Finanças #Crise #PNL #Hipnose #Yoga #Ioga #Mediunidade #Meditação #Numerologia #Grabovoi #DhinAkari #OSaltoQuânticoGenético #Supraconsciência #EuMaior #EuSuperior #NovaFísica #Illuminati #TeoriaDaConspiração #Compaixão #Amor #Carinho #Sensual #Xamanismo #Superação #Intuição #Autoajuda